A Cidade

Vila Santa é o nome dado ao vilarejo do Condado Valença, governado pelo Conde D. João Valença II. Fica pouco ao sul de Lisboa, estavelecida na rota comercial ligando a Capital ao sul do país. Existe a pouco menos de um século, sobrevivendo de umas poucas fazendas e do grande número de comerciantes que por lá passam.

Nobreza e governo

A cidade foi fundada em 1319 pelo Conde D. João Diniz e Valença, que, com Anna Carlota de Gomez Almeida, foi pai de Vinicius Almeida Diniz e Valença e Rosa Carlota Diniz e Valença. D. Vinícius foi Conde de Vila Santa após a morte do pai. Casou-se com Maria Tereza de Orleans e Bragança, e juntos tiveram João Vinicius Bragança e Valença, e Marcus Augusto Bragança e Valença. D. João II tornou-se Conde de Vila Santa. Casou-se com xxx, que engravidou três vezes, mas todas as vezes deu à luz bebês mortos. Na terceira, faleceu.

Com a morte de D. João II, o Condado de Vila Santa passará para D. Carlos Valença, filho de D. Marcus e sobrinho de D. João II.

Geografia

A cidade é dividida em três Baronatos, uma praça comum, alguns terrenos pagos, bosques e áreas de caça, e uma grande fatia pessoal do Conde. Os Baronatos e a fatia do Conde são comumente chamados os Quartos Valença, Almeida, Bragança e Cruz. As Mansões e alguns grandes terrenos possuem ao até dúzias de pequenas casas, destinadas aos funcionários do Senhor.

No Quarto Valença, além da Casa Marrom, a grande mansão do Conde de Vila Santa, e de sua pequena Vila de funcionários, o Quarto Valença também abriga a Mansão de D. Marcus Valença, um moinho, duas torres de vigia, cinco terrenos arrendados, e três terrenos pagos; dentre os terrenos pagos, estão os de Giovanni de Medici e Domingos Guimarães. Perto da Praça Central, há um Tribunal de Justiça. Atrás da Casa Marrom, uma ampla mata.

No Quarto Cruz há apenas uma Mansão, a de D. Rafael, que possui extensa fazenda. Além dela, há terreno para uma Igreja com cemitério, e mais seis terrenos arrendados, dentre os quais o de Miguel Zorion, e ampla área de caça.

No Quarto Almeida é estabelecido o Comércio de Vila Santa. Ao norte do Comércio, inúmeras casas arrendadas para os moradores mais pobres de Vila Santa. Também existem três Mansões dos Almeida, com amplas fazendas, bem como três terrenos pagos e mais algumas dezenas de casas arrendadas próximas as Mansões.

No Quarto Bragança, a Mansão Bragança e a Mansão Menor, de D. Constâncio Bragança. Perto do centro foi construído um Quartel da Guarda e Cárcere, e no caminho para a Mansão, quatro terrenos arrendados, dentre eles o de Fransisco de Menezes.

Na Praça Central há um poço com água limpa, uma cruz como marco da fundação da Vila, e, na frente do Tribunal, uma estátua de D. João Valença I.

A Cidade

Vila Santa Monstah