Giovanni de Medici

Mercante rico

Description:

Filho de uma família rica italiana, mercador e ex-professor de uma faculdade em Lisboa.

Foi convidado para visitar Vila Santa por D. Rafael Cruz, amigo se deu pai. Levou junto seu amigo Domingos Guimarães, e acabaram se enraizando na cidade, onde ficou amigo de Miguel Zorion Jr..

É sócio de negócios no comércio de Vila Santa, cultiva frutos e vinhos em suas terras, emprega professores para lecionarem para as crianças na Igreja, e abriu um Banco em Vila Santa. Paga impostos dos negócios no comérico a D. Onofre Almeida, do banco a Conde D. João II e D. Onofre, e das terras a D. João.

Bio:

Giovanni de Médici, filho do grão duque da Toscana Cosimo de Médici, nascido em 1384 em Florença. Enveredou nas escolas de alto renome da Itália, principalmente a escola de economia de Roma onde passou boa parte de sua juventude até voltar para o seio familiar aonde assumira a co-administração do banco de sua família. Sempre um mecenas das artes como tradição da família Médici, passou boa parte de seu tempo livre quando ainda era um jovem adulto em simpósios e odes à sua musa Helena Bertonni, uma linda mulher de olhos verdes, cabelos negros e de feições delicadas o que viria a ser sua futura esposa.

Preocupado com o caminho que seu filho estava a tomar, Cosmo de Médici, arranjou o casamento dele com a família Bertonni, burgo mestre das terras da Calábria. Giovanni ao ter seu sonho realizado, decidiu deixar de lado sua fama de mecenas e se tornou aquilo que estudara para ser, um comerciante. Com os conflitos constantes de sua família com as famílias católicas de Veneza e Genova, sua família iniciara uma rota comercial com Lisboa e outras cidades de Portugal e Espanha, além é claro do norte da África.

Prosperou de forma exemplar e conseguiu um novo nicho econômico para a fortuna dos Médici. Mudou-se com sua esposa em Lisboa fundando um pequeno império comercial. Lá teve uma filha, Anna de Médici. Foi monitor da escola de Coimbra na área de economia, fazendo vários contatos sociais, políticos e principalmente acadêmicos. Na escola sua maior amizade era com um grande antropólogo e historiador, José de Almeida Braga que por sinal era um pesquisador da história italiana, principalmente se tratando de Florença, terra natal dos Médici. José era um adorador da cultura italiana, e viu em Giovanni uma chance de poder entender melhor suas origens, suas histórias e sua vida. Não de forma ambiciosa, mas de respeito e amizade.

Sua idéias seguiam as de seu pai e tutor, o qual admira muito como pessoa, sempre visando a razão à religião, a idéia do homem como um ser pensante e livre em ideais, sejam culturais ou religiosos. Este pensamento era comum para os Médici e por isso sempre havia gerado complicações com famílias religiosas poderosas e principalmente com o vaticano. Fazendo de Florença uma cidade odiada e adorada por muitos.

Alguns de seus investimentos eram na área imobiliária, fazendo-o viajar constantemente para vilas e cidades interioranas de toda Europa mediterrânea. Uma das cidades que chamara sua atenção fora Villa Santa, onde tinha um amigo de sua família, amigo de seu pai que se conheceram em uma de suas viagens para Florença, onde era sempre bem recebido ficando hospedado na casa dos Médici. Ao saber que um dos filhos de Cosimo estava em terras portuguesas, prontamente fez o convite para Giovanni visitá-los e claro para o casamento de uma de suas filhas o qual conhecera quando era bem nova.

Giovanni enviara sua esposa e filha para Florença, pedindo para ficarem sobre os cuidados do pai enquanto viajava a negócios por Portugal, todo sábado Giovanni enviava uma carta para sua amada, sempre dizendo que a amava e que esta com muitas saudades das duas, pedia sempre para Helena dizer como as coisas estavam em suas terras e sua família, sua pai e irmãos enviavam algumas cartas com assuntos pessoais outras com pedidos de conselhos de investimento. Mas de qualquer forma Giovanni sentia saudades de casa e ansiava por voltar em breve.

Giovanni de Medici

Vila Santa Monstah debulhador