Otuko Leeu'skild

Negro de feições joviais e bem apessoado

Description:

Indo atras de uma foto dele de Escarfe branca durante a cena do julgamento final do caso…. aonde esta de colete e akela escarfe/gravata frufruzenta….

Bio:

Otuko era um membro da família Leeu da tribo dos Maasai, residia com seus pais e irmãos no vilarejo de sua cidade. Quando veio os portugueses e os ingles do norte a vida de todos os africanos tomou um rumo um tanto quanto inesperado.

Os chefes de tribos inimigas e inclusive o chefe de sua tribo aproveitavam desses estrangeiros para dizimarem vilas inteiras. Sejam levando os prisioneiros para serem vendidos nos portos, sejam dando dicas aos estrangeiros aonde encontrariam tribos inteiras desguardadas.

Como os Maasai eram nomades por natureza Otuko nunca encontrou com os portugueses por muitos anos. Mas o chefe da tribo já utilizou os serviços dos ingleses para dizimarem 4 aldeias de inimigos. Muitos dos Maasai viram isso como um ato de covardia e renegaram participar do clan dos Moniri e durante essa debandada os revoltosos foram capturados por portugueses.

Otuko foi um dos poucos que sobreviveram pois era muito jovem, passado algun anos trabalhando no barco desse portugues escravista conseguiu fugir no porto do Nilo e encontrou-se com um nobre Portugues interessado em artes e esculturas. Prometeu guiar o portugues até uma relíquia que ele lembrava em troca de salvamento.

Dom Onofre podia ler o desespero do escravo, nada fora do que ja tinha vivido e nada especial, mas essa ideia de uma relíquia Africana, algo da terra natal daquele breu em forma de homem. Otuko irriquieto fez com que a escolha do portugues preconceituoso acelerasse. Quando concordou em salvar o escravo, seus antigos donos viraram a esquina e deram de cara com a dupla.

Nobre e escravo estavam cercados por piratas portugueses, Onofre pensando rápido ja ofereceu comprar o escravo por uma quantia exorbitante. Prontamente, os piratas concordaram com a pequena fortuna e cederam os papeis do escravo ao nobre excentrico.

Os preparativos da viagem correram como relampago em tempestade, em menos de uma semana Onofre sua embarcação e seus associados estavam de viagem para a costa leste da África. Depois de quase um ano de viagem Onofre e Otuko voltam ao Nilo. O relacionamento dos dois virou algo peculiar, não era de dono e escravo, nem sócio e sócio… parecia mais como uma relação de pai e filho. Esta viagem e outras foram desfrutadas pelos dois durante muitos anos até que Onofre teve que retornar a sua antiga e decadente cidade… a Maldita Vila Santa com suas supertições, preconceitos rurais e membros da alta-sociedade mais bárbaros que aborígenes africano…

Otuko Leeu'skild

Vila Santa Monstah Bpaiva